Delírio

Um olho gigante colado numa lente, buscando ver para além das janelas e vidraças. \ver uma coisa bela\ uma alma justa\ uma sentinela… e todos os sentidos.

Uma máquina desejante sem horário ou bússula. Sem colírio, o olho  quer a visão do paraíso. Impossível?  Compreender o  mundo é um enigma. Uma vertigem solitária

O olho debruça sobre a face das coisas e sonha. Sonha em silêncio. Sonha alegrias.

Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s